facebook twitter instagram linkdn blog

Daniel Day Lewis Florença

Por Florença é fácil se apaixonar: suas margens douradas ao pôr do sol, suas vistas de tirar o fôlego de Boboli ou da Piazzale Michelangelo. Da tradição artística imortal que nasceu e fez escola no mundo inteiro até as influências mais contemporâneas que vibram em um centro histórico cada vez mais criativo e internacional , nem mesmo as estrelas de Hollywood parecem imunes ao charme da capital da Toscana. E do tapete vermelho para as oficinas do Oltrarno, o caminho é curto!

Entre as inúmeras histórias que ligam o Cinema - o com C maiúsculo - à nossa cidade, a mais singular é, sem dúvida, a de Daniel Day-Lewis, que de estrela do Oscar vestiu a pele (por uma vez, não cinematográfica) do sapateiro na oficina de Stefano Bemer, excelência no universo “shoes”, famosa em todo o mundo pelo requinte nos modelos e a qualidade da matéria-prima.

A estrela irlandesa, a única do mundo que ganhou três Oscars de Melhor Ator, passou 10 meses como "estagiário" no laboratório de San Frediano, localizado no coração da cidade, em uma antiga igreja de 1439, na Florença mais autêntica, a dos artesãos e negociantes de segunda mão, dos antiquários e das pequenas lojas.

A história é curiosa e levou a imprensa do mundo inteiro a discutir: o protagonista de obras-primas como "O Último dos Moicanos", de Michael Mann; e "A Idade da Inocência", de Martin Scorsese, se prestou a ser um artesão por quase um ano, entre 1999 e 2000, a troco de nada. Galeotto era um par de botas de couro que pertencia a seu pai e ao qual o ator estava particularmente ligado. Para consertar as botas, Day-Lewis recorreu ao sapateiro florentino, uma empresa fundada em 1983 com a única ambição de "criar o sapato italiano perfeito". Naquela loja, o pedido bizarro: "Posso trabalhar para vocês?"

Ele ficou impressionado com a precisão, a técnica e a total dedicação do trabalho artesanal, atitudes que o agradavam particularmente. Na verdade, Daniel Day-Lewis é conhecido por ser um profissional meticuloso, pontual, às vezes obsessivo, famoso pelo "The Method", o método de atuação que o fez entrar de corpo e alma nos papéis que desempenhou: das semanas que passou em uma cadeira de rodas para experimentar a paralisia para "Meu pé esquerdo", de Jim Sheridan, que lhe valeu o primeiro Oscar, aos dias passados em confinamento solitário sem dormir nem comer para absorver a raiva e a alienação de Gerry Conlon , o protagonista de "Em nome do pai", sempre de Sheridan. Até o treinamento do açougueiro, entre carcaças e cutelos, para dar uma ferocidade sem precedentes a Bill The Butcher em "Gangues de Nova York", de Scorsese, o papel que o arrancará de seu refúgio florentino.

Depois de meses de trabalho na oficina de Bemer para escapar do frenesi do showbiz, foi a oferta de Scorsese a convencê-lo a voltar às telas. Definitivamente uma decepção para os vizinhos da Toscana, mas uma baita sorte para a telona, considerando que entre 2008 e 2013 ganhou mais dois Oscars com "O Petroleiro" e "Lincoln", nos presenteando com alguns dos mais extraordinários retratos cinematográficos de todos os tempos.

0
0
0
s2sdefault
A Accademia Europe di Firenze é uma Escola Internacinal das Artes e da Cultura Italiana.
Fundada em 2005 como uma escola de língua italiana para estrangeiros, com o passar do tempo ampliou sua oferta e atualmente oferece cursos de cultura italiana, arte, musica e dança, Certificate Programs trienais de Voice & Opera, Drawing & Painting e Dance, Study Abroad Programs em colaboração com universidades americanas de prestígio, Summer e Winter Programs e Joint Academic Programs realizados com instituições universitárias de todo o mundo.
A combinação da experiência vivida na AEF e a qualidade dos professores, fazem da escola, com raízes na história e na cultura italiana, mas qualificada com padroes acadêmicos europeus, um ambiente internacional na cidade do Renascimento e da beleza.

   Cookie policy    Privacy policy