Accademia Europea di Firenze

O melhor lugar para estudar a língua, a arte e a cultura italiana em Florença

Accademia Europea di Firenze é uma Escola das Artes, da Língua e da Cultura Italiana.
Fundada em 2005 como escola de língua italiana para estrangeiros, com o tempo ampliou sua oferta e atualmente oferece cursos de arte, cultura italiana, música e dança. Além de Certificate Programs em Voice & Opera, Drawing & Painting, Dance e um Certificate Program de Língua e Cultura Italiana, Study Abroad Programs em colaboração com importantes universidades americanas, Summer e Winter Programs e Programas de Internacionalização realizados com instituições universitárias de todo o mundo. A experiência vivida na AEF e a qualidade dos professores fazem da escola, com raízes na história e na cultura italiana e qualificada com padrões acadêmicos europeus, um ambiente internacional na cidade da beleza e do Renascimento.
Diversity and Inclusion study abroad experience

 

Era o dia 19 de agosto. 98 alunos da Elon University estavam a caminho de Florença para passar o semestre de outono lá. Eu estava tão animada para viver um período na Itália, de uma forma que nem todos podem. Minha mente disparou, sonhando com todas as coisas que eu queria fazer e ver durante essa experiência de estudo no exterior. Eu já tinha estado em Florença quando estava no colégio, mas tínhamos concentrado tudo o que havia para fazer em uma única semana; desta vez, teria sido, em vez disso, um teste de independência e autodisciplina. Desta vez, teria sido completamente diferente.

Depois de alguns dias em minha nova casa, era como se eu realmente não soubesse o que fazer, como me comportar. Eu nunca havia morado nesta cidade e queria me acostumar com o novo estilo de vida antes do início das aulas. O estresse estava começando a cobrar seu preço, mas tentei suprimi-lo saindo de casa e me forçando a me divertir como todo mundo, em vez de lidar com o que estava sentindo. Quando as aulas começaram, no entanto, eu não saí durante a semana como meus colegas faziam. Passei a maior parte do meu tempo nas redes sociais, vendo as postagens das noites malucas de outras pessoas. Eu não poderia me arrastar para fora do meu apartamento e fazer como eles. Continuei me jogando para baixo porque estava com muita saudade de casa: não podia sair e dar a volta por aí para festejar e tentar fazer novos amigos. Eu odiava a maneira como me sentia. Não era típico de mim. Normalmente sou uma pessoa extrovertida e realmente gosto de fazer as pessoas felizes. Mas como eu poderia fazer isso, se eu mesma era a primeira a não ser feliz?

Comecei a ligar para minha mãe, que estava a 6.500 quilômetros de distância e seis horas atrasada, várias vezes ao dia. Eu precisava falar com alguém para me ajudar a me recuperar. Felizmente, percebi com o tempo o que estava passando e entrei em contato com a psicóloga da AEF.
Depois do primeiro mês já me sentia mais viva e pronta para enfrentar essa experiência de estudo com um espírito diferente. Os dias pareciam menos pesados depois de conversar com alguém que ouviu meus pensamentos e tentou acalmar minhas ansiedades. Também conversei sobre isso com outros alunos na aula e no bar, e eles também estavam começando a perceber que sentiam muita falta de casa. Eles tinham o mesmo medo que eu de perder tudo o que estava acontecendo do outro lado do mundo e que as pessoas pudessem esquecê-los. Todo mundo estava enfrentando sua batalha de forma diferente. Certamente teria demorado mais para perceber o que estava acontecendo comigo se não fosse pela imensa ajuda que me foi prestada pela equipe da AEF. Eu não poderia deixar tudo isso me consumir e essa poderia ser a razão pela qual eu estava perdendo uma experiência única na vida.
Estudar no exterior é algo único e você aprende muito, além de ser uma oportunidade fundamental para o seu crescimento pessoal. O mais importante a lembrar é que saltar para uma nova vida, completamente diferente da anterior, é avassalador. Mas você não está sozinho em lidar com tudo isso. Outros alunos estão experimentando a mesma coisa, mesmo que não o demonstrem. Algumas das coisas que me ajudaram muito foram manter um diário e passar meu tempo livre vivenciando Florença em todos os seus aspetos. Ler e andar pelas ruas da cidade foram duas das minhas atividades favoritas nessa época, que me ajudaram muito a manter a minha mente e a mim mesma ocupadas. Eu também limitei o tempo que passei nas redes sociais.
Lembre-se sempre de que seus sentimentos têm muito valor e que você pode sentir saudades de casa. Você tem o direito de experimentar os termos e condições decorrentes de viver no exterior.

Partner Institutions