facebook twitter instagram linkdn blog

A doce vida na ItáliaUm estudante universitário comum, noventa dias extraordinários

Ciao! Se você quer descobrir como é a experiência do “Study Abroad” em Florença, está no lugar certo, meu amigo. E vou te dizer, este é o momento perfeito na sua vida para ver o mundo. A AEF te dá as boas-vindas para que você se junte a eles e viva Florença. Afinal, por que assisti-la na TV e ler sobre ela nos livros quando você pode vê-la pessoalmente? Me permita conduzir você em uma viagem...

jimmi1Uma catedral histórica, reconhecida mundialmente, e uma das maiores galerias de arte do mundo ocidental... sim, essas são apenas duas imagens que você verá durante sua caminhada até a escola. O que vem em mente quando você pensa na Itália? Beleza? História? Pequenos cafés em cada esquina? Uma quantidade sem fim de massa e pizza? !

jimmi2
Mas, para ser justo, pratos de bruschetta, malas de mão de couro, esculturas renascentistas e pessoas bonitas são só alguns componentes da cultura italiana. Meu nome é Jimmy Sullivan, tenho 21 anos, estou no primeiro ano da universidade, e vou dar uma ideia do que foi viver na Itália pelos 90 dias mais gratificantes da minha vida até agora. .

AEF: Seus amigos em Florença
Tá legal, então eu vou adivinhar e dizer que você já deu uma espiada no resto deste site. Se você não fez isso ainda, por favor, faça! Eu não vou gastar muito tempo descrevendo o que é a Accademia Europea di Firenze porque as pessoas adoráveis da escola já fizeram isso com muito mais detalhes. Em vez disso, quero fazer um prefácio para este blog listando as 5 razões pelas quais a AEF provou ser a melhor parceira e anfitriã para quem quer estudar no exterior, pela visão de um estudante.

1)O semestre é desenhado para que você não precise passar todo seu tempo preso na sala de aula. Obviamente, essa razão é GRANDE. Antonio Vanni, o Diretor da AEF, e o restante da equipe entendem que viver na Itália pode ser uma oportunidade única na vida para muitos de nós. É por isso que muitos estudantes farão 4-5 cursos, de segunda a quinta. Isso mesmo, leitores atentos. Não há aula às sextas-feiras. Esses finais de semana com três dias são a oportunidade perfeita para viajar, o que me leva à razão #2...


2) Eles te levam para toda a Itália!

É sério. A AEF faz um trabalho fenomenal organizando excursões escolares. Alguns dos destaques incluem Pisa, Lucca, Siena, Bologna e três dias em Padova e Trieste. (Eu também não estava familiarizado com a maioria destes lugares antes de viajar para cá – sinta-se à vontade para buscá-los no Google!) Ah! E uma vez toda a escola pegou uma praia no Golfo de Baratti.

jimmi3
3) Eles te expõem à cultura italiana pra valer.
As aulas deles não são brincadeira. Toda lição, programa e excursão que a AEF oferece tem a intenção de te ajudar a passar pela experiência mais enriquecedora possível. Você vai aprender italiano. Para mim, isso é gigantesco. Florença é um lugar onde, se você quiser, você pode se safar falando apenas inglês. Mas isso não é verdade para todos os lugares na Itália. Além disso, você não estuda no exterior para fazer as mesmas coisas que você já fazia em seu país, certo? E os professores algumas vezes irão dar suas aulas fora da escola, ou em cafés, para fazer com que você seja realmente submergido na matéria. Por exemplo, na minha aula de italiano estava sendo ministrada uma lição sobre comida. Então, nosso professor Tiberia nos levou tomar café da manhã fora para que pudéssemos fazer o pedido em italiano. E quando na minha aula de História estávamos estudando uma unidade sobre futurismo, a professora Floarea nos levou ao Caffè Giubbe Rosse, que no passado era frequentado por Salvador Dali. Mais importante, a AEF nos levou a aulas de culinária, onde aprendemos a cozinhar a pratos da tradicional culinária italiana, do molho à bolonhesa ao tiramisu. A família da minha mãe é originalmente de Nápoles e, quando eu disse a eles que eu podia preparar uma lasanha DO ZERO eles morreram de orgulho. A propósito, a AEF também oferece atividades extracurriculares toda semana, desde assistir a ópera até visitar oficinas de artesanato e torcer pela Fiorentina em um jogo de futebol profissional!

jimmi44) ) O plano de refeições permite jantar fora o tempo todo! Aqui está um lembrete: você está na Itália!!!
Tudo bem pessoal, ouçam porque isso muda o jogo. Você achou que ia estudar na Itália e comer em algum refeitório estudantil típico e medíocre? Não na AEF! Como eu disse, esses caras são as pessoas mais hospitaleiras que conheci em toda a minha vida, e ter certeza de que estamos bem alimentados é apenas mais uma prova disso. Veja como funciona: você pode se inscrever para um programa semanal de 20 ou 24 cupons de refeição no valor de € 5 cada. Todas as segundas-feiras de manhã, você assinará seu próximo pacote. A partir daí você pode usá-los para comprar mantimentos, tomar café em um dos cafés da cidade ou sair para jantar em um restaurante chique que, se você tiver a minha situação econômica, só poderia se dar ao luxo uma vez a cada mil anos. Meu conselho? Mime-se e experimente a Bistecca Fiorentina e o Pici al Ragu di Cinghiale (macarrão com molho de carne de javali). Depois me conte se estava bom ;-)

5) Eles te convidam a fazer parte de uma família internacional.
Florença é, sem dúvida, uma cidade internacional. O surpreendente número de restaurantes japoneses e uma Hard Rock Café que fica bem no centro da Piazza Repubblica servem como prova concreta. Por esta razão, Florença é o local perfeito para a exposição multicultural, já que é um portal para uma ampla gama de países. Geograficamente, está em uma posição fantástica. A equipe e o corpo estudantil da AEF também refletem isso. Tive o prazer de interagir com fotógrafos da Irlanda, dançarinos da China e cantores da Grécia. A AEF trabalhou incrivelmente duro para criar um ambiente inclusivo e seguro para todos. E como estudante, você conhece seus professores e toda a equipe pessoalmente, pelo primeiro nome. Isso faz uma grande diferença para transformar Florença na sua casa longe de casa.

Mostre-me a doce vida, baby! Você talvez tenha ouvido falar da frase "la dolce vita"; a doce vida. Essa pode ser a única maneira de resumir um semestre de exposição cultural em três palavras ou menos. Naturalmente, “la dolce vita” é um sentimento. É algo que você sente, quase como se permeasse o ar ao seu redor. Mesmo que a expressão seja difícil de definir, ela é tão real quanto o panorama inspirador que a envolve. A única maneira com a qual eu posso mostrar isso para você é através de analogias. Felizmente, eu carregava um diário de viagem comigo em todos os momentos, que eu costumava usar para registrar minhas experiências.

29 DE SETEMBRO
Na primeira semana na Itália, um dos meus professores fez a nossa aula em uma excursão, onde pude admirar a cidade em uma foto panorâmica. Isso foi o que escrevi: “O marcador de páginas de couro deste diário está pendurado no pico do Forte Belvedere agora mesmo. Este é o ponto mais alto de Florença, situado no final de uma subida íngreme, porém tranquila, através de uma passagem estreita ladeada por casas cobertas de terracota. Em uma dessas janelas, Galileu uma vez olhou para o céu e ponderou a amplitude do universo. Na caminhada, a cena tomou vida diante dos meus olhos. As escadas para Belvedere são inclinadas e apresentam recuos, provavelmente por alguma medida defensiva. Arqueiros poderiam se alinhar no topo da escada e na torre de tijolos. Este lugar parece intangível. Daqui, olhando para a cidade, esses soldados devem ter sonhado com gelato, Chianti, suas famílias e tudo de bom, sentindo determinação e amor pela sua identidade como florentinos”.

9 DE OUTUBRO
A essa altura, eu estava acomodado no ritmo mais lento da vida florentina. Eu tive tempo à noite para fazer corridas solitárias e digitei isso no meu bloco de notas do iPhone: “Ele pairava sobre mim, comandando no centro do céu cinza-carvão; uma escultura de mármore que parecia recém-cunhada e antiga de uma só vez. Pensei comigo mesmo que esta cidade foi abençoada pela visão de verdadeiros mestres, porque eu estava tão perdido naquela visão que me tornei imune ao beliscão do vento e à falta de fôlego”.

13 DE OUTUBRO
O que é estudar no exterior sem um viajar um pouco? Nesta passagem, me vi sozinho, sem acesso ao wifi, em Veneza. Eu usei a abordagem italiana para lidar com a situação: qual o problema? “Neste momento estou sentado tomando um Spritz em um restaurante com um nome do qual não tenho certeza, prestes a comer lasanha à bolonhesa enquanto admiro o mar que brilha como bilhões de fragmentos de vidro manchado... Eu deveria me perder enquanto viajo com mais frequência!”

19 DE OUTUBRO
Neste ponto da minha estada, soube que Florença está repleta de joias ocultas. Eu escrevi o que se segue como um presente para mim mesmo quando voltasse para casa! Tome nota! "Você quer encontrar um lugar super romântico, um lugar para se aconchegar em silêncio e sentir a respiração da cidade? Vá para Robiglio, logo após o Duomo, antes de chegar à escola. Pare na loja para uma sobremesa ou um café. Entre no edifício adjacente: o sexto andar se abre para um terraço com algumas mesas, de onde você pode apreciar um pedaço da vida italiana".
... e estes são apenas alguns dos momentos que eu documentei. Há muito, muito mais. A verdade é que eu passei muito mais tempo presente e boquiaberto do que escrevendo. Ainda bem!
La dolce vita... significa sentar em um restaurante com novos amigos e não dar a primeira mordida até que todos tenham sido servidos. Significa olhar uns para os outros e colocar o telefone no modo “não perturbe”. Significa pedir a conta no fim da refeição e jamais se sentir pressionado para ir embora e deixar a mesa livre. Exemplo concreto: uma vez eu sentei num café por CINCO horas. Ninguém me olhou torto e eu, habituado ao estilo de vida de um estudante universitário americano, percebi que a Itália tinha me mudado para melhor. Mesmo! Se você quiser saber mais, entre em contato comigo! Sério: se você tiver alguma dúvida ou apenas quiser conversar sobre como a Itália e a AEF são fantásticas, escreva para mim!
A presto!
[email protected]




Jimmy Sullivan
Western New England University
Study Abroad Semester
Fall 2017
0
0
0
s2sdefault
A Accademia Europe di Firenze é uma Escola Internacinal das Artes e da Cultura Italiana.
Fundada em 2005 como uma escola de língua italiana para estrangeiros, com o passar do tempo ampliou sua oferta e atualmente oferece cursos de cultura italiana, arte, musica e dança, Certificate Programs trienais de Voice & Opera, Drawing & Painting e Dance, Study Abroad Programs em colaboração com universidades americanas de prestígio, Summer e Winter Programs e Joint Academic Programs realizados com instituições universitárias de todo o mundo.
A combinação da experiência vivida na AEF e a qualidade dos professores, fazem da escola, com raízes na história e na cultura italiana, mas qualificada com padroes acadêmicos europeus, um ambiente internacional na cidade do Renascimento e da beleza.

   Cookie policy    Privacy policy