Scuola Internazionale delle Arti, della Lingua e della Cultura Italiana

facebook twitter instagram linkdn blog

A história do gelato

Não importa se estamos no inverno ou no verão, um gelato é sempre bem-vindo. Entre excursões de turistas e estudantes que relaxam quando as aulas acabam; do profissional que se concede uma pausa entre um compromisso e outro às famílias a passeio pelas ruas da cidade; desafiamos você a passar um dia inteiro no centro sem encontrar alguém com um gelato na mão.

Pode ser na casquinha ou no copinho, em um brioche perfumado, um smoothie energético ou um sorbet para matar a sede; de creme ou de chocolate para os amantes da tradição, ou as misturas mais bizarras para quem não abre mão do exótico. E tem ainda os mais fartos e envolventes – para os gulosos de plantão –, ou os frutados e refrescantes: sem dúvida, há gelato para todos os gostos!

No entanto, apesar de ser um alimento conhecido em todo o mundo, a origem desta delícia é envolta em lendas: acredita-se que o ancestral do gelato – uma mistura de gelo, leite e arroz – tenha sido inventado pelos chineses por volta de 500 aC. usando um estratagema engenhoso para "fazer a neve", isto é, resfriando a água quente instantaneamente nas rochas frias. Outra teoria é de que as origens sejam mais recentes, na Sicília, durante o período de dominação islâmica, entre 827 e 1091. Os árabes teriam importado a cana-de-açúcar que, adicionada a uma mistura de água e fruta, seria congelada devido à diminuição da temperatura obtida pela reação do salitre com água, em cuja solução o recipiente de preparação ficava imerso.

Do extremo Oriente ao Mar Mediterrâneo, uma coisa é certa, Florença teve um papel determinante na difusão dessa gulodice! E são dois os florentinos a quem se atribui a paternidade do gelato: Ruggeri, o primeiro, era um vendedor de galinhas na Florença do século XVI que ganhou um concurso de cozinha na corte dos Medici apresentando o prato mais bizarro já visto, "o gelo feito de água adoçada e perfumada." Diz a lenda que Caterina de’ Medici, enfeitiçada por essa delicadeza, levou Ruggeri com ela a Paris como confeiteiro, e que a sua receita se difundiu a partir dali para toda a França.

O outro é, sem dúvida, um dos florentinos mais engenhosos e versáteis. Estamos falando de Bernardo Buontalenti. Arquiteto, escultor, cenógrafo e engenheiro, Buontalenti foi um aluno de Vasari e acredita-se que seja o verdadeiro pai do gelato moderno. Por ocasião da visita de alguns embaixadores espanhóis, ele foi encarregado pelos Medici de organizar uma recepção surpreendente. Entre as muitas invenções brilhantes da noite, ele criou a receita para zabaione, uma sobremesa feita com leite, mel, gema de ovo, vinho e uma máquina para resfriar o doce. Uma vez congelado, o zabaione virou o “doce gelato” por excelência, o famoso creme florentino, mais tarde renomeado "Buontalenti" em homenagem ao seu brilhante criador.

0
0
0
s2sdefault
A Accademia Europe di Firenze é uma Escola Internacional das Artes e da Cultura Italiana.
Fundada em 2005 como uma escola de língua italiana para estrangeiros, com o passar do tempo ampliou sua oferta e atualmente oferece cursos de cultura italiana, arte, musica e dança, Certificate Programs trienais de Voice & Opera, Drawing & Painting e Dance, Study Abroad Programs em colaboração com universidades americanas de prestígio, Summer e Winter Programs e Joint Academic Programs realizados com instituições universitárias de todo o mundo.
A combinação da experiência vivida na AEF e a qualidade dos professores, fazem da escola, com raízes na história e na cultura italiana, mas qualificada com padroes acadêmicos europeus, um ambiente internacional na cidade do Renascimento e da beleza.

   Cookie policy    Privacy policy